PIC18F2550: Montando o circuito de funcionamento

306 views

No post de hoje mostraremos a montagem do circuito periférico mínimo para trabalhar com o PIC18F2550, a provisão para gravar o PIC com o gravador PICkit3 da Microchip e iremos identificar as principais características deste notável microcontrolador.

PIC18F2550 e Pickit3
PIC18F2550 – PICkit3

Neste circuito que montaremos, haverá a provisão da conexão do PIC18F2550 com o gravador PICkit3. Desta forma, será possível programar o PIC diretamente na protoboard.

Conhecendo o PIC18F2550

O PIC18F2550 é um micro processador de alta performance desenvolvido pela Microchip Inc., com a capacidade de interface com um computador através de uma comunicação serial via porta USB além da tradicional interface padrão ICSP (para programação em protoboards). Sua programação pode ser realizada com as linguagens Assembly ou C.

 

Diagrama de localização de portas e correspondência com os terminais do PIC18F2550
Figura 01: Diagrama de localização de portas e correspondência com os terminais do PIC18F2550.

Este micro controlador possui 24 terminais multifuncionais, sendo as principais características 10 terminais capazes de gerar sinais PWM com resolução de 10 bits, 4 timers e 2 comparadores. Há também um oscilador interno capaz de operar em 8 frequências definidas entre 31kHz e 8MHz e é capaz de trabalhar com dois osciladores externos de frequências de até 48MHz. Seus terminais são agrupados em 4 “portas”, identificadas pelas letras A, B, C e E.

Figura 02: Diagrama de identificação dos terminais do PIC18F2550.

Os significados dos acrônimos das funções deste PIC estão listados abaixo para auxiliá-lo a identificar os recursos que poderão ser utilizados em seus projetos:

PortaNome da funçãoDescrição
EMCLRMaster Clear
EVppTensão de programação (entrada)
A / B / C / ER(A/B/C/E)#
Ex.: RE3
Entrada digital (identificação de porta letras e função por números)
EOSC#
Ex.: OSC1
Cristal oscilador interno ou fonte de frequência (clock) externa
ECLK#
Ex.: CLK1
Entrada de pulsos de Clock externos (associado com o terminal com função OSC#)
AR(A/B/C/E)#
Ex.: RA6
Terminal de sinais I/O bidirecional (identificação de porta letras e função por números)
A / B / CAN#
Ex.: AN0
Entrada de sinal analógico (identificação numérica sem associação com a porta que está agrupada)
AVref-Tensão de referência para a entrada de sinal analógico (nível lógico baixo)
ACvrefSaída de sinal do comparador analógico
AVref+Tensão de referência para a entrada de sinal analógico (nível lógico alto)
A / CT#CKI
Ex.: T2CKI
Entrada de pulsos de Clock externos para a função Timer (identificação numérica sem associação com a porta que está agrupada)
AC#OUT
Ex.: C1OUT
Sinal de saída do comparador (identificação numérica sem associação com a porta que está agrupada)
ARCVEntrada de sinal RCV externo via USB
ASSEntrada de seleção do SPI em modo escravo
AHLVDINEntrada do detector de tensão baixa e alta
BINT#
Ex.: INT2
Interruptor externo (identificação numérica sem associação com a porta que está agrupada)
BFLT#
Ex.: FLT0
Entrada de sinal de falha do PWM (módulo CCP1)
BSDIEntrada de dados SPI
BSDADados I/O de I2C
BSCKClock de sínal I/O síncrono para o modo SPI
BSCLClock de sínal I/O síncrono para o modo I2C
BVMOSaída de sinal VMO para USB
B / CCCP#
Ex.: CCP2
Captura de sinal de entrada / Comparação de sinal de saída  / Saída PWM (identificação numérica sem associação com a porta que está agrupada)
BVPOSaída de sinal VPO para USB
BKBI#
Ex.: KBI2
Interruptor de carga de entrada (identificação numérica sem associação com a porta que está agrupada)
BPGMHabilitação de programação ICSP com baixa tensão
BPGCDepurador para conexão direta ao circuito e terminal de clock de programação ICSP
BPGDDepurador para conexão direta ao circuito e terminal de transferência de dados de programação ICSP
CT#OSO
Ex.: T1OSO
Saída do timer oscilador (identificação numérica sem associação com a porta que está agrupada)
CT#OSI
Ex.: T1OSI
Entrada do timer oscilador (identificação numérica sem associação com a porta que está agrupada)
CUOESaída de sinal OE para USB
CD-Sinal diferencial negativo do USB
CVMEntrada de sinal VM para USB
CD+Sinal diferencial positivo do USB
CVPEntrada de sinal VP para USB
CTXTransmissor assíncrono EUSART
CCKPulsos de clock síncrono EUSART (verifique RX/DT)
CDTDados síncronos EUSART (verifique TX/CK)
CSDOSaída de dados SPI
VusbRegulador de tensão interno de 3.3V para conexão USB
VssTerra (GND) de referência para lógica e terminais I/O
VddTensão de alimentação para lógica e terminais I/O
ACLKIEntrada de sinal de clock externo. Sempre associado com o terminal com função OSC1
ACLKONo modo RC, o terminal de função CLKO será a saída da função OSC2, o qual a frequência é 1/4 do sinal de OSC1 e denota a instrução de razão de ciclo.

Materiais necessários

Montagem do circuito

Em nosso primeiro circuito utilizando o PIC18F2550, iremos utilizar a função de clock externo fornecido por um cristal oscilador de 8kHz. Conforme indicação do datasheet do PIC, devemos criar em nossa protoboard um circuito semelhante a imagem abaixo:

Figura 03: Diagrama do circuito oscilador externo (clock externo) e tabela de referência de capacitores em função da frequência dos cristais osciladores.

Incluiremos também uma função extra em nossa protoboard que é um botão de reset para o PIC. Conforme indicado no datasheet, a função Reset executada externamente é realizada apenas na condição Power-On Reset (POR). A particularidade deste PIC é que reset é executado apenas quando um sinal de nível lógico alto (5V) é enviado para o terminal, conforme indicado no diagrama abaixo:

Figura 04: Diagrama do circuito da função reset executada externamente.

Para a montagem deste segmento do circuito, iremos inserir uma chave táctil entre o resistor R1 e o nó (ponto) entre os demais componentes na protoboard. Considere os seguintes para cada identificação do diagrama acima:

IdentificaçãoComponente
CCapacitor Eletrolítico 10 μF / 16V
DDiodo 1N4007
RResistor 10 kΩ
R1Resistor 1 kΩ

Confira abaixo o diagrama do circuito eletrônico, ainda sem as conexões para envio da programação utilizando o PICkit3:

Figura 05: Circuito eletrônico mínimo para funcionamento do PIC18F2550.

Por último, iremos conectar os jumpers para utilizar o gravador PICkit3 para realizar o intermédio entre o PIC e o computador:

Figura 06: Diagrama Fritzing do circuito completo.

Antes de iniciarmos a montagem dos circuitos dos próximos projetos, vamos identificar no diagrama acima cada um dos circuitos descritos periféricos anteriormente:

Figura 07: Circuito externo de clock.
Figura 08: Circuito do comando externo Reset e LED.
Figura 09: Circuito de comunicação entre o PIC18F2550 e o gravador PICkit3.

No próximo post, montaremos nosso primeiro projeto e iremos realizar a programação na linguagem C no software MPLAB IDE para que nosso LED pisque a cada 1 segundo, semelhante ao exemplo “Blink” do Arduino.

 

Esperamos que tenham gostado deste tutorial. Para dúvidas e sugestões, deixe um comentário abaixo! Aproveite e confira outros produtos em nossa loja!

(Visited 217 times, 2 visits today)